Assembléias de Deus

Assembléias de Deus
Selo da unidade no centenário


MusicPlaylistRingtones
Create a playlist at MixPod.com


Bancada evangélica em Brasília encolheu
Só Bancada Assembleiana teve aumento: de 5 para 12 deputados federais
A Frente Parlamentar Evangélica no Congresso Nacional encolheu para o período 2011-2014. Se eram mais de 40 parlamentares até a atual legislatura, o número para começar a nova legislatura ano que vem não deve ultrapassar a casa dos 30 parlamentares. Apenas a "Bancada Assembleiana", por assim dizer, teve aumento. Na legislatura de 2003-2006, ocorreu o recorde de deputados federais assembleianos eleitos: 22. Na legislatura seguinte (2007-2010), esse número caiu drasticamente para 5 deputados federais. Agora, após o pleito de ontem, houve um significativo aumento: haverá 12 deputados federais assembleianos na próxima legislatura.Abaixo, veja a lista dos deputados federais evangélicos com eleição confirmada até às 7h da manhã de hoje, segundo dados do TSE. Entre parênteses, a posição de cada um entre os mais votados em cada Estado. Os deputados da "Bancada Assembleiana" aparecem com seus nomes em destaque e respectivos números de votos. Na lista, não constam os candidatos eleitos ligados à Igreja Universal, e que divergem em algumas questões defendidas pela Frente Parlamentar Evangélica. O destaque da Universal, mais uma vez, foi o senador Marcelo Crivella, reeleito senador como segundo mais votado no Rio de Janeiro, com 3.332.886 votos. Evangélicos com eleição confirmada para deputados federais para legislatura 2011-2014: São Paulo - Marco Feliciano (12º - 211.803 votos); Paulo Freire (24º, 161.083 votos); Missionário José Olimpo (26º); Marcelo Aguiar (57º). Rio de Janeiro - Garotinho (1º); Eduardo Cunha (5º); Arolde de Oliveira (13º); Filipe Pereira (14º); Benedita (30º); Washington Reis (9º), 138.811 votos); Liliam Sá (43º). Espírito Santo - Lauriete (8º, com 69.918 votos)Distrito Federal - Ronaldo Fonseca (7º, 67.920)Goiás - João Campos (7º, 135.968 votos)Pará - Zequinha Marinho (7º, 147.429 votos)Pernambuco - Pastor Francisco Eurico (5º, 185.870 votos)Paraná - Takayama (14º, 109.895 votos); André Zacharow (20º)Amazonas - Silas Câmara (4º, 126.688 votos)Sergipe - Pastor Heleno (6º)Rondônia - Nilton Capixaba (3º, 32.016 votos)

domingo, 25 de julho de 2010

A GLÓRIA DE PERDER E A TRAGÉDIA DE GANHAR


Quantos sejam os anos da vida de um ser humano, ela sempre se caracteriza por uma sucessão de ganhos e perdas.Jesus estabeleceu princípios estranhos, porém sólidos e verdadeiros ao deixar claro que para ganhar é preciso perder.Muitos vivem preocupados o tempo todo com a falsa glória de perder peso e a penosa tragédia de ganhar fama. A perda de peso é falsa porque nada acrescenta ao caráter. O lucro da fama pode ser uma tragédia pelos inimigos que conquista e pelo mau uso das benesses por ela adquiridas.Ganhar a salvação quase sempre significa perder amigos, mas estes são efêmeros enquanto aquela é eterna.Quando Cristo nos ganhou, o Diabo nos perdeu. Moisés perdeu o fausto do trono do Egito, mas ganhou a glória da comunhão com Deus no monte.Abraão perdeu a estabilidade de Ur dos Caldeus, mas ganhou o status de peregrino de Adonai. Em Ur, vivia em esterilidade. Como peregrino, tornou-se pai de uma multidão de nações.Muitos perdem a honra quando ganham muito dinheiro. Outros ganham reputação, quando perdem o temor de ser honrados.Muitos perdem o tempo que não sabem aproveitar e ganham o prêmio da inatividade. Outros ganham o troféu de laboriosos, enquanto perdem o amor pela inércia.Abrão perdeu o nome de mais alto, para ganhar o de mais amado. É melhor ser amado em baixo, que desprezado em cima.Jacó perdeu o direito de andar totalmente ereto entre os homens, mas ganhou o privilégio de um novo nome, que o declarava príncipe de Deus. É melhor ter o defeito de Jacó que a beleza de Absalão. Daniel perdeu o prazer de ricos banquetes, mas ganhou a bênção de interpretar sonhos do rei.José perdeu a emoção de uma aventura rápida com a mulher de Potifar para ganhar a designação de Primeiro-Ministro da nação mais poderosa de seu tempo.Esaú perdeu o respeito pela primogenitura para ganhar o título de leviano e fornicário.João Batista considerou uma glória perder a cabeça física, para poder ganhar a aprovação da Cabeça Espiritual.Ananias quis ganhar algumas cédulas que enriqueceriam seu patrimônio, mas perdeu a própria vida, sob o juízo de Deus.Alguns perdem o respeito para ganhar posições. Outros perdem posições para ganhar o respeito.Existem os que choram quando ganham, pois sabem que a vitória era de outros e os que se alegram quando perdem, pois perderam o que não deviam possuir.Na contabilidade espiritual de Paulo, perder posições humanas era uma glória, enquanto ganhar almas era um privilégio. Caro leitor, como estás no ganha-e-perde da vida? Bem-aventurados os que se desvencilharam de tudo que ganharam erradamente. Mais bem-aventurados ainda os que conseguiram recuperar tudo aquilo que jamais deveriam ter perdido.O filho pródigo, longe de casa, experimentou a tragédia de ganhar amigos. Só quando vivenciou a glória de os perder, se sentiu realmente feliz.O irmão do filho pródigo perdeu a alegria quando o viu ganhar a reconciliação.Para aqueles que choram as muitas perdas de ontem, recordamos que elas serão superadas e esquecidas pelas vitórias de amanhã.O cego de Jericó viveu a glória de “perder” sua capa, para não sentir a tragédia de ganhar a morte estando ainda cego.Ganhar é uma tragédia quando está em jogo aquilo que não se deveria possuir. Perder é uma glória quando se trata daquilo que jamais se deveria obter. Quando Jesus quis declarar que a tragédia de ganhar o mundo só pode ser evitada pelo desprezo à glória de ganhar o que ele oferece, Ele propôs uma questão, que nunca pode ser esquecida: “De que aproveitaria ao homem ganhar o mundo inteiro e perder a sua alma”?

terça-feira, 11 de maio de 2010

Procure o que foi perdido dentro da sua casa


A parábola da dracma perdida faz parte do conjunto de parábolas que Jesus contou em Lucas 15 para ilustrar o amor de Deus pelos pecadores. Nas três parábolas, Deus busca o que estava perdido, encontra o que estava perdido e celebra com efusiva alegria a recuperação do que estava perdido.
Voltaremos nossa atenção para a parábola da dracma perdida. Algumas lições merecem destaque:

A mulher perdeu algo de valor dentro de casa
– Ela perdeu uma moeda de sua coleção. Das dez dracmas, a mulher perdeu uma e a perdeu dentro de casa. Mais importante do que valores são os relacionamentos. Mais precioso do que bens são as pessoas. Muitas vezes, por descuido, nós também, perdemos verdadeiros tesouros dentro de casa. Perdemos a comunicação, perdemos a alegria da comunhão, perdemos o acendrado amor com que devemos amar uns aos outros.

A mulher não se conformou com a perda
– A mulher poderia ter se conformado com a perda da moeda. Afinal, ela ainda tinha nove delas guardadas em segurança. Mas, essa mulher não aceitou passivamente a perda. Ela não se conformou com a derrota. Ela não desistiu de recuperar a moeda perdida. Muitas vezes, nós somos descuidados em guardar os tesouros que temos e quando os perdemos somos vagarosos e até desanimados para procurar o que se perdeu. Conformamo-nos facilmente com a derrota como o sacerdote Eli. Preferimos desistir do casamento, dos relacionamentos, do que lutar para recuparar o que se perdeu.

A mulher acendeu a candeia para procurar o que havia perdido
– As casas na Palestina não possuíam janelas. Eram ambientes escuros e ensombreados. Era impossível procurar algo perdido sem acender a candeia. Se queremos reencontrar o que perdemos dentro da nossa casa, precisamos de igual forma acender a candeia. A candeia é um símbolo da Palavra de Deus. Precisamos iluminar nossas mentes, nossos corações e nossos relacionamentos pela luz da Palavra se de fato queremos encontrar esses tesouros perdidos dentro da nossa casa.

A mulher varreu a casa para procurar o que se havia perdido
- A mulher teve coragem de mexer e remover do lugar muita coisa. Ela teve iniciativa e esforço. Ela enfrentou o desconforto da desinstalação. Ela levantou muita poeira ao varrer cada canto da casa à procura do seu tesouro perdido. Se queremos a restituição desses tesouros perdidos dentro da nossa casa, precisamos de igual forma procurá-los diligentemente. Não podemos ser omissos nem acomodados. Não podemos ter medo de mexer em algumas coisas já sedimentadas. Não podemos ter medo de desconforto. Há muitos indivíduos que estoicamente desistem de procurar o que se perdeu em sua vida, em seu casamento, em sua família. Preferem encontrar justificativas para as perdas a investir tempo na busca do que se perdeu. Não devemos desistir jamais, pois o desconforto da busca não deve nos privar da alegria do encontro.

A mulher comemorou com grande alegria o encontro daquilo que estava perdido
- A mulher perdeu a moeda no recesso do lar, sob as sombras do anonimato, mas ela celebrou o encontro da dracma publicamente sob os auspícios da luz. Nossas conquistas e bênçãos devem ser conhecidas e proclamadas. As outras pessoas devem conhecer nossas vitórias e participar das nossas alegrias. Há festa no céu quando um pecador se arrepende e quando o perdido é encontrado; também há alegria diante dos homens quando os tesouros que perdemos dentro da nossa casa são encontrados. É tempo de acendermos a candeia e pegarmos a vassoura. É tempo de procurarmos diligentemente aquilo que perdemos. É tempo de celebrarmos com os nossos irmãos as vitórias que vêm de Deus e a restituição das bênçãos de outrora!


A maioria das pessoas reconhece um ambiente de graça quando o vê. Elas simplesmente apontam os resultados: as pessoas se sentem seguras, crescem, confiam umas nas outras, vivem de forma autêntica, celebram unidas, riem muito e produzem mais. É interessante como, em alguns ambientes, a graça é tão evidente que podemos senti-la imediatamente, mesmo antes da compreensão cognitiva dos comportamentos observados!

O que é “graça”?
· Graça é um favor não-merecido. É dar algo de valor a quem não merece, mas precisa.
· Graça é tratar as pessoas melhor do que elas merecem.
· Graça é tratar as pessoas melhor do que nós esperamos ser tratados.
· Graça é não desistir daqueles que desistem de nós.
· Graça é dar amor ao que não merece ser amado.
· Graça é ser grato, apesar da ingratidão das pessoas.
· Graça é servir aos inimigos.
· Graça é abençoar os que nos amaldiçoam.
· Graça é falar bem de quem fala mal da gente.
· Graça é orar pelos que nos perseguem.
· Graça é vencer o mal com golpes de bondade.
· Graça é desejar o bem para os que nos desejam mal.
· Graça é perdoar, mesmo quando esse perdão não é solicitado.
· Graça é se importar com aqueles que não se importam com você.

O que acontece quando falta “graça” no ambiente FAMILIAR? “Tudo no Evangelho se fundamenta na ‘graça’. Sem a ‘graça’, o Evangelho não teria o poder de Deus para a salvação do homem!”

1. Quando falta graça, as regras acabam se tornando mais importantes do que os relacionamentos. Regras só têm valor quando, primeiro, se constrói um relacionamento de confiança com a família. Quando falta confiança, ninguém se abre para aprender ou para ser influenciado. Um ambiente permeado pela graça é um solo fértil para a construção de relacionamentos de confiança.
2. Quando falta graça, amamos as coisas e usamos as pessoas. Observe que o pai não perguntou ao “filho pródigo” sobre o dinheiro que ele havia desperdiçado numa vida desregrada. O que mais importava não eram as coisas (dinheiro), mas sim, o filho.
3. Quando falta graça, a indiferença revela que o coração da família foi petrificado. Nesse ambiente de corações petrificados, ninguém ouve com empatia, ninguém se coloca no lugar do outro para sentir o que ele está sentindo. Nesse ambiente, não há reconstrução, reconciliação e nem restituição. A maior evidência de que falta graça no ambiente de muitas famílias é a indiferença. A graça faz com que nos importemos com a dor do outro. Onde há sensibilidade, é porque ali reina a graça de Deus.
4. Quando falta a graça, não há flexibilidade; e, como todos sabem, toda estrutura rígida se quebra com facilidade.

O chão da sua casa é afofado com graça? O ambiente da sua casa é enriquecido com graça? Que o Senhor não deixe faltar graça em sua casa!
por Josué Gonçalves

sábado, 8 de maio de 2010

Faço esta homenagem para todas as mães.



O coração das mães é um abismo no fundo do qual se encontra sempre um perdão.
Algumas mães são carinhosas e outras são repreensivas, mas isto é amor do mesmo modo, e a maioria das mães beija e repreende ao mesmo tempo.
Mãe: palavra pequena, mas com um significado infinito, pois quer dizer amor, dedicação, renúncia a si própria, força e sabedoria. Ser mãe não é só dar a luz e sim, participar da vida dos seus frutos gerados ou criados. Obrigado por termos você.
Em especial a minha Mãe e minha Esposa parabéns pra vocês...

sexta-feira, 7 de maio de 2010

Graça é o favor de Deus ao homem.


A graça é diferente da misericórdia, vai além. Misericórdia é, por exemplo, Deus perdoar o pecador, esquecer o que ele fez de mal. A graça é Deus, além de perdoar, transformar esse pecador em santo e dar coisas que esse homem não merecia. A graça engloba o perdão, a vida eterna, a santificação, a saúde e a prosperidade.

Tudo de bom que o homem tem vem do alto, ter origem em Deus. O homem por si só não é capaz de se auto transformar. É Deus quem faz a obra. O homem pode, sim, impedir essa transformação. O homem pode receber dádivas de Deus ou rejeitar esses presentes - isso livre arbítrio. Quando o homem recebe coisas boas - isso é graça. Graça é Deus se manifestando ao homem, no homem e através do homem, sem esse homem merecer nada.

É importante entendermos que, embora tudo seja pela graça de Deus, nada foi gratuito para Deus. Ele teve que enviar o seu filho a esse mundo caído para assumir o lugar do homem. Toda a graça de Deus para nós é baseada no preço que Jesus pagou na cruz morrendo em nosso lugar. Foi uma troca que Deus fez. Os nossos pecados passaram para Cristo e a justiça, santidade, glória, graça dEle passou para nós.

Vejamos esses aspectos na bíblia:

Graça Salvadora

É pela graça de Jesus que Deus perdoa os pecados. Nenhum homem merece o perdão de Deus. Todos pecaram e estão destituídos da glória de Deus. Mas Deus é graciosos e dá perdão a todo aquele que abre o coração para o arrependimento e fé em Deus. A condição para receber a salvação é arrependimento e fé, porém isso não vem de nós, vem de Deus. Nós podemos endurecer o coração e rejeitar essa graça, ou podemos abrir o coração e receber arrependimento e fé para termos a salvação em Cristo.

“Ou desprezas tu as riquezas da sua benignidade, e paciência e longanimidade, ignorando que a benignidade de Deus te leva ao arrependimento?” Romanos 2.4

“Sendo justificados gratuitamente pela sua graça, pela redenção que há em Cristo Jesus.” Romanos 3.24

“Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus.” Efésios 2.8



Graça Santificadora

É pela graça de Jesus que Deus santifica o homem. O homem na força da carne não consegue guardar os mandamentos. Pode até guardar alguns, mas vai quebrar outros. Só pela graça podemos ser santos.

“Porque o pecado não terá domínio sobre vós, pois não estais debaixo da lei, mas debaixo da graça. Pois que? Pecaremos porque não estamos debaixo da lei, mas debaixo da graça? De modo nenhum.” Romanos 6.14-15

“Digo, porém: Andai em Espírito, e não cumprireis a concupiscência da carne.” Gálatas 5.16


Graça para receber o Espírito Santo

É pela graça de Jesus que Deus Batiza no Espírito Santo. Muitos pensam que é por sermos fiéis, bons crentes, bom dizimista, etc, que adquirimos a capacidade de receber o Espírito Santo. Mas a verdade é que recebemos o Espírito Santo pela graça. Pedimos perdão a Deus e o recebemos pela fé. Em seguida, pedimos o seu Espírito Santo, e pela fé o recebemos. O Espírito Santo é um dom.

“Só quisera saber isto de vós: recebestes o Espírito pelas obras da lei ou pela pregação da fé?” Gálatas 3.2

“Para que a bênção de Abraão chegasse aos gentios por Jesus Cristo, e para que pela fé nós recebamos a promessa do Espírito.” Gálatas 3.14

“Pedro respondeu: ‘Arrependam-se, e cada um de vocês seja batizado em nome de Jesus Cristo para perdão dos seus pecados, e receberão o dom do Espírito Santo, Pois a promessa é para vocês, para os seus filhos e para todos os que estão longe, para todos quantos o Senhor, o nosso Deus, chamar’”. Atos 2.38-39

Graça para Receber Milagres

Os milagres nos são dados pela graça. Ninguém é merecedor de milagres. E através da fé. O que é de fé não é por obras.

“Aquele, pois, que vos dá o Espírito, e que opera maravilhas entre vós, fá-lo pelas obras da lei, ou pela pregação da fé?” Gálatas 3.5


Graça Ministerial

É pela graça de Jesus que exercemos o ministério. Não servimos a Deus ou fazemos coisas para Ele porque somos capazes de fazê-las. Aparentemente parece que somos nós, mas na verdade é Cristo em nós.

“Pelo qual recebemos a graça e o apostolado, para a obediência da fé entre todas as gentes pelo seu nome,” Romanos 1.15

“Mas, quando aprouve a Deus, que desde o ventre de minha mãe me separou, e me chamou pela sua graça,” Gálatas 1.15

“Se é que tendes ouvido a dispensação da graça de Deus, que para convosco me foi dada;... Do qual fui feito ministro, pelo dom da graça de Deus, que me foi dado segundo a operação do seu poder.“ Efésios 3.2 e 3.7



Graça da Prosperidade

Mesmo que o homem se esforce, é Deus que dá força para adquirir riqueza.

“Porque já sabeis a graça de nosso Senhor Jesus Cristo que, sendo rico, por amor de vós se fez pobre; para que pela sua pobreza enriquecêsseis.” II Coríntios 8.9



Graça para mudança de caráter

Ninguém consegue se transformar. Pode até conseguir alguma reforma em alguns aspectos de seu caráter; mas transformação profunda, só através da graça do Senhor. Isso não quer dizer que não haverá a participação do homem. Haverá sim. O homem precisa reconhecer a sua total incapacidade e depender da graça de Cristo. É a operação do Espírito Santo em nós. É necessária a cooperação humana em renunciar o pecado e se dispor em fé a obedecer a Deus. E essa renuncia é pela fé também.

“Mas o fruto do Espírito é: amor, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão, temperança.” Gálatas 5.22

Conclusão

Toda glória é de Deus. Se houvesse a força do homem, este teria alguma glória. Até quando há alguma força humana, por trás dela está a graça de Deus, que capacita esse homem a se esforçar. A graça do Senhor é salvadora, santificadora, concede o Espírito Santo, faz milagres, transforma o nosso caráter, levanta ministérios e prospera os homens. Tudo é pela graça. O Senhor não reparte a sua glória com ninguém. A Ele seja toda glória, honra e majestade! Vivamos na graça do Senhor!

quarta-feira, 28 de abril de 2010

III SIMPÓSIO DE JOVENS - AD MADUREIRA EM CUBATÃO


A Igreja Evangélica Assembléia de Deus - Ministério de Madureira em Cubatão, Campo do Parque São Rafael, estará realizando o III Simpósio de Jovens, no dia 15 de Maio de 2010, sob a Supervisão do Pr. Ely Silva de Lima, que também é o Presidente da UNIPEC - Conselho de Pastores e Ministros Evangélicos de Cubatão.

Informações no cartaz acima!


Divulgue e participe!

Maiores informações:


Márcio Teixeira:
13 - 81444260
ID Nextel:105*10685

Pesquisar neste Blog

Carregando...